Fontes de acessulfame-K e riscos à saúde

O acessulfame-K é um pó cristalino branco C4H4KNO4S que é um sal de potássio orgânico cíclico. É um adoçante artificial com zero calorias e com uma doçura 200 vezes mais intensa que a sacarose, mais conhecida como açúcar de mesa. No entanto, possui um gosto residual ligeiramente amargo. Este adoçante artificial foi aprovado desde 1988 e atualmente está sendo usado em alimentos e bebidas. Geralmente é encontrada em uma mistura com outros adoçantes, como aspartame e sucralose, para mascarar o gosto amargo quando adoçantes são usados por conta própria.

Freqüentemente, é usado como intensificador de sabor ou para preservar a doçura de alimentos doces. Ele pode ser encontrado em refrigerantes, shakes de proteína, misturas para bebidas, sobremesas congeladas, assados, doces, chicletes e adoçantes de mesa. Ele está listado nos ingredientes do rótulo dos alimentos como acessulfame K, acessulfame de potássio ou Ace-K. Na Europa, às vezes é chamado de E950. É vendido no mercado sob as marcas Sunnett ou Sweet One.

Efeitos nocivos que podem ser causados pelo acessulfame-K

Embora seja considerado seguro pela Food and Drug Administration (FDA), alguns estão convencidos de que tem efeitos potencialmente perigosos para a saúde. Os primeiros testes de segurança no Ace-K foram realizados na década de 1970.

Esses testes indicaram que o composto pode ser cancerígeno ou cancerígeno em ratos. Mas a validade desses testes tem sido questionada ao longo dos anos. Em 1996, o Centro de Ciência no Interesse Público (CSPI) instou o FDA a fazer mais testes com acessulfame-K antes de permitir sua inclusão em refrigerantes. As agências dizem que, embora o teste de segurança inicial na década de 1970 tenha falhado, a pesquisa atual sobre o Ace-K não prova sua segurança.

O CSPI afirma que, apesar das deficiências das primeiras pesquisas, existe uma associação entre acessulfame-K e câncer. Além disso, também há evidências de que a aceotoacetamida, que é criada no corpo ao quebrar o Ace-K, pode causar danos à tireoide em animais de laboratório. Um estudo também descobriu que o uso crônico de Ace-K em camundongos machos estava relacionado a possíveis mudanças na função cerebral ao longo de um período de 40 semanas.

Os efeitos nocivos do acessulfame-K baseiam-se em testes inadequados e na falta de estudos de longo prazo. Ele contém o cancerígeno cloreto de metileno. A exposição de longo prazo a esta substância pode causar sintomas como dores de cabeça, depressão, náuseas, confusão mental, efeitos no fígado, efeitos nos rins, distúrbios visuais e câncer em humanos. Sistemas corporais prejudicados pelo acessulfame-K Como outros adoçantes artificiais, o acessulfame-K é controverso.

Alguns afirmam que podem interromper os processos metabólicos e interferir na regulação do apetite, no peso corporal e no controle do açúcar no sangue. Vários estudos observacionais destacaram uma ligação entre o consumo de bebidas dietéticas e o desenvolvimento de obesidade, diabetes tipo 2 e síndrome metabólica.

O consumo a longo prazo de acessulfame de potássio pode aumentar os níveis de açúcar no sangue ou insulina. Um estudo animal sugere que o uso a longo prazo de acessulfame de potássio pode prejudicar a função cerebral. Estudos também mostram que a alta ingestão diária de bebidas adoçadas artificialmente pode afetar o desenvolvimento inicial dos bebês durante a gravidez e pode fazer com que mulheres grávidas tenham um parto prematuro.

Além disso, os críticos do Ace-K levantam preocupações sobre seu potencial para causar câncer. Um produto químico causador de câncer chamado cloreto de metileno é usado na fabricação de Ace-K. Afeta o sistema nervoso central, fígado, sistema cardiovascular e sangue. Este produto químico cancerígeno causa irritação no trato respiratório quando inalado. Alguns de seus sintomas incluem náuseas, vômitos e dor de cabeça.

Quando ingerido, pode causar irritação no trato gastrointestinal com vômitos. Também pode afetar a pele, causando irritação, vermelhidão e dor. Também é prejudicial para os olhos, pois seus vapores podem causar irritação ocular que pode causar dor, inflamação e danos temporais aos olhos. Embora as autoridades regulatórias dos Estados Unidos e do Reino Unido tenham declarado esse adoçante artificial como seguro, os estudos usados ​​para comprovar sua segurança não sustentam os padrões científicos que geralmente são exigidos para tomar tais decisões.

Resumo

O acessulfame de potássio é um adoçante artificial com zero calorias, usado em alimentos e bebidas, como refrigerantes, shakes de proteína, misturas para bebidas, sobremesas congeladas, assados, doces, chicletes e adoçantes de mesa.

Pode causar câncer, diabetes e parto prematuro. Também pode interromper os processos metabólicos e interferir na regulação do apetite, no peso corporal e no controle do açúcar no sangue.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *