Os benefícios do fósforo para a saúde

O fósforo é um mineral essencial encontrado em todas as células do corpo humano. É o segundo mineral mais abundante depois do cálcio, respondendo por cerca de 1% do peso total do corpo. O fósforo é um dos 16 minerais essenciais.

São minerais de que o corpo necessita para funcionar normalmente. Embora a função principal do fósforo seja construir e manter ossos e dentes, ele também desempenha um papel importante na formação de DNA e RNA (os blocos de construção genéticos do corpo).

Isso ajuda a garantir que as células e os tecidos sejam mantidos, reparados e substituídos adequadamente à medida que envelhecem.  O fósforo também desempenha um papel fundamental no metabolismo (a conversão de calorias e oxigênio em energia), na contração muscular, no ritmo cardíaco e na transmissão de sinais nervosos.

O fósforo também é considerado um macromineral (ao lado do cálcio, do sódio, do magnésio, do potássio, do cloreto e do enxofre), pois é necessário mais dele do que minerais como o ferro e o zinco. A deficiência de fósforo geralmente é acompanhada por hipofosfatemia ou níveis baixos de fosfato no sangue, que podem afetar todos os sistemas orgânicos do corpo e causar fraqueza muscular, dores nos ossos, fraturas, convulsões e insuficiência respiratória.

Ao contrário de certos micronutrientes, o corpo não consegue produzir fósforo por conta própria. Você precisa obtê-lo dos alimentos e, se necessário, de um suplemento dietético (o fósforo é a forma medicamentosa do fósforo). As melhores fontes alimentares de fósforo são carne, laticínios, peixes oleosos e sementes.

Benefícios para a saúde

Um suplemento de fosfato é normalmente usado para prevenir uma deficiência de fósforo, uma condição considerada rara nos Estados Unidos, fora de certos grupos de alto risco.

De acordo com um estudo da Harvard Medical School, a deficiência de fósforo é mais comumente vista em:  

  • pessoas com doença pulmonar obstrutiva crônica (afetando 21,5 %)
  • alcoólatras crônicos (até 30,4 %)
  • pessoas em unidades de terapia intensiva (até 33,9 %)
  • pessoas envolvidas em traumas graves, como uma queimadura grave (75 %)
  • pessoas com sepse (até 80 %)

O fósforo baixo também pode afetar pessoas com certas doenças ou condições médicas, incluindo doença de Cushing, hipotireoidismo, doença da paratireóide, deficiência de vitamina D e desnutrição. A hipofosfatemia também pode ser causada pelo uso excessivo de diuréticos (pílulas de água) ou medicamentos redutores de fosfato usados ​​durante a diálise renal. 

 Além da prevenção ou tratamento da deficiência de fósforo, um suplemento de fosfato pode oferecer benefícios específicos à saúde, particularmente em adultos mais velhos e pessoas com tendência a infecções do trato urinário (ITUs). Acredita-se também que melhora o desempenho atlético e a força, embora haja poucas evidências clínicas para apoiar essa afirmação.

Osteoporose

Cerca de 85 por cento do fósforo no corpo humano é armazenado nos ossos. O resto está circulando livremente na corrente sanguínea para facilitar outras funções biológicas.  O fósforo trabalha com o cálcio para ajudar a construir ossos e dentes saudáveis. Esses minerais são convertidos no corpo em sais de fosfato de cálcio que enrijecem e fortalecem os ossos. O fósforo também regula a quantidade de cálcio existente no corpo e a quantidade excretada na urina.

Isso evita que o excesso de cálcio seja depositado nos vasos sanguíneos, o que pode aumentar o risco de aterosclerose (endurecimento das artérias). No passado, havia a preocupação de que o consumo de muito fosfato pudesse prejudicar esse equilíbrio ajustado, retirando cálcio dos ossos e aumentando o risco de osteoporose (perda mineral óssea).

Um estudo de 2015 publicado no Nutrition Journal provou que não era esse o caso. De acordo com a pesquisa atual, altas doses de fosfato aumentam a densidade da massa óssea (BMD) e o conteúdo da massa óssea (BMC) enquanto diminuem o risco de osteoporose em adultos com ingestão adequada de cálcio.

 Além disso, o aumento da ingestão de fosfato não foi associado à toxicidade. Qualquer excesso de fosfato no sangue é excretado na urina ou nas fezes. 

Infecções do trato urinário

Suplementos de fosfato às vezes são usados ​​para tornar a urina mais ácida. Há muito se presume que isso pode ajudar a tratar certas infecções do trato urinário ou prevenir a formação de pedras nos rins. Estudos recentes, entretanto, sugerem que esse pode não ser o caso. De acordo com um estudo de 2015 no Journal of Biochemical Chemistry, a urina com um pH alto (o que significa que é menos ácida) exerceu efeitos antimicrobianos mais fortes em comparação com a urina com pH baixo / acidez alta. No entanto, as ITUs são mais comuns em mulheres com hipercalcemia (cálcio anormalmente alto), pois o cálcio urinário aumentado promoveu o crescimento bacteriano.

Suplementos de fosfato podem ajudar a reverter esse risco ligando-se ao cálcio em circulação livre e eliminando-o nas fezes.

Da mesma forma, cálculos renais compostos de fosfato de cálcio tendem a se desenvolver quando o pH da urina está acima de 7,2 (o que significa que é alcalina). Ao diminuir o pH (e aumentar a acidez), o fosfato pode prevenir pedras nos rins em indivíduos de alto risco. Embora isso não seja verdade com todas as pedras. Os cálculos renais compostos de oxalato de cálcio se desenvolvem quando o pH da urina é inferior a 6,0 (o que significa que é ácido). Aumentar a acidez com fosfato pode apenas promover, ao invés de inibir, seu crescimento. 

Possíveis efeitos colaterais

Os suplementos de fosfato são considerados seguros se tomados conforme prescrito. Doses altas podem causar dores de cabeça, náuseas, tonturas, diarreia e vômitos. As alergias ao fosfato são raras, mas ainda é importante chamar seu médico ou procurar atendimento de emergência se sentir erupção na pele, urticária, falta de ar, taquicardia ou inchaço da face, garganta ou língua após tomar um suplemento de fosfato.

Estes podem ser sinais de reação em todo o corpo com risco de vida, conhecida como anafilaxia. A ingestão excessiva de fosfato pode interferir na capacidade do corpo de usar ferro, cálcio, magnésio e zinco. Devido a isso, o fosfato raramente é tomado sozinho, mas sim como parte de um suplemento multivitamínico / mineral. 

Contra-indicações

Pessoas com doença renal crônica podem precisar evitar suplementos de fosfato. Como os rins são menos capazes de limpar o fosfato do corpo, o mineral pode se acumular e levar à hiperfosfatemia (níveis excessivamente altos de fósforo). Os sintomas podem incluir erupção na pele, coceira, cãibras musculares, espasmos, dores nos ossos ou nas articulações, ou dormência e formigamento ao redor da boca. 

O excesso de fósforo também pode afetar a acidez da urina e levar ao deslocamento de um cálculo renal não diagnosticado anteriormente. Fora da disfunção renal grave, a hiperfosfatemia é extremamente rara. está mais associado ao fracasso em eliminar o fósforo do corpo do que ao uso de suplementos de fosfato.

Interações medicamentosas

O fosfato pode interagir com alguns medicamentos farmacêuticos e de venda livre. Certos medicamentos podem causar reduções nos níveis de fósforo no sangue, incluindo:

  •  inibidores da enzima de conversão da angiotensina (ACE) como Lotensin (benazepril), Capoten (captopril) ou Vasotec (enalapril)
  • antiácidos contendo alumínio, cálcio ou magnésioanticonvulsivantes como fenobarbital ou Tegretol (carbamazepina)
  • medicamentos para baixar o colesterol, como Questran (colestiramina) ou Colestid (colestipol)
  • diuréticos como hidrodiuril (hidroclorotiazida) ou Lasix (furosemida)
  • insulina 

Outros medicamentos podem fazer com que os níveis de fósforo aumentem excessivamente, incluindo: 

  • corticosteroides como prednisona ou Medrol (metilprednisolona)
  • suplementos de potássiodiuréticos poupadores de potássio como Aldactona (espironolactona) e Dyrenium (triamtereno)

Se você está sendo tratado com qualquer um desses medicamentos, não deve tomar suplementos de fosfato sem primeiro falar com seu médico. Em alguns casos, separar as doses do medicamento por duas a quatro horas ajudará a superar a interação. Em outros, pode ser necessário um ajuste da dose ou substituição do medicamento.

Dosagem e preparação

Os suplementos de fosfato estão disponíveis em comprimidos ou cápsulas sob várias marcas. O fosfato também está incluído em muitos suplementos multivitamínicos / minerais, bem como em suplementos formulados especificamente para a saúde óssea. As doses tendem a variar de 50 miligramas (mg) a 100 mg. 

De acordo com o Food Nutrition Board do Institute of Medicine, a ingestão dietética recomendada (RDI) de fósforo de todas as fontes varia de acordo com a idade e o estado de gravidez, como segue: 

  • crianças de zero a seis meses: 100 miligramas por dia (mg / dia)
  • crianças de sete a 12 meses: 275 mg / dia
  • crianças de um a três anos: 460 mg / dia
  • crianças de quatro a oito anos: 500 mg / diaadolescentes e adolescentes de nove a 18 anos: 1.250 mg / dia
  • adultos acima de 18: 700 mg / dia
  • mulheres grávidas ou lactantes com 18 anos ou menos: 1.250 mg / dia
  • mulheres grávidas ou amamentando com mais de 18: 700 mg / dia

Doses superiores a 3.000 a 3.500 mg / dia são geralmente consideradas excessivas e podem afetar adversamente o equilíbrio dos macro e oligoelementos no sangue.

 O fosfato injetável é algumas vezes usado para tratar a hipofosfatemia grave. As injeções são geralmente indicadas quando o nível de fósforo no sangue cai abaixo de 0,4 milimoles por litro (mmol / L). O intervalo normal é de 0,87 a 1,52 mmol / L. As injeções de fosfato são administradas apenas em um ambiente de saúde sob a direção de um especialista qualificado.

 Considerações

Os suplementos dietéticos não são regulamentados nos Estados Unidos e não estão sujeitos aos testes e pesquisas rigorosos que os medicamentos farmacêuticos. Portanto, a qualidade pode variar – às vezes significativamente. Para garantir qualidade e segurança, compre apenas suplementos que tenham sido submetidos voluntariamente a testes por um organismo de certificação independente, como a Farmacopeia dos Estados Unidos (USP), ConsumerLab, da NSF International. 

Os suplementos de fosfato são vulneráveis ​​ao calor extremo, umidade e radiação ultravioleta (UV). É sempre melhor armazenar os suplementos em sua embalagem resistente à luz original em um local fresco e seco. Nunca use suplementos vencidos ou que estejam descoloridos ou se deteriorando, não importa a data de validade.

Outras perguntas

Eu preciso de um suplemento de fosfato? 

A maioria das pessoas obtém todo o fósforo de que necessita por meio da dieta. A menos que você tenha uma condição médica que exija suplementação, como alcoolismo ou doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), seria melhor fazer uma dieta saudável e balanceada, rica em nutrientes macro e traços. Alimentos especialmente ricos em fósforo incluem: 

  • Sementes de abóbora ou abóbora: 676 mg por porção de 1/4 de xícara
  • Queijo cottage: 358 mg por porção de 1 xícara
  • Girassol: 343 mg por porção de 1/4 de xícara
  • Sardinhas enlatadas em óleo: 363 mg por porção de 7mg
  • Queijo duro: 302 mg por porção de 4mg
  • Leite: 272 por porção de 1 xícara
  • Lentilhas (cozidas): 264 mg por porção de 3/4 de xícara
  • Salmão enlatado: 247 mg por porção de 7mg
  • Iogurte: 247 mg por porção de 3/4 xícara
  • Carne de porco: 221 mg por porção de 7mg
  • Tofu: 204 mg por porção de 3/4 de xícara
  • Carne: 180 mg por porção de 7mg
  • Frango: 163 mg por porção de 7mg
  • Ovos: 157 mg por dois ovos
  • Atum enlatado em água: 104 mg por porção de 7mg

 

One thought on “Os benefícios do fósforo para a saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *