Disfonia espasmódica – causas, sintomas e tratamentos

Disfonia espasmódica é uma condição neurológica permanente que afeta a fala. Em geral, quando a pessoa fala, o ar que sai de seu pulmão passa entre as cordas vocais, que se estendem pela garganta. Assim, em uma pessoa normal a pressão do ar faz com que elas vibrem. No entanto, quando pessoas com essa condição falam, os músculos envolvidos nessa atividade recebem sinais irregulares do cérebro, fazendo as cordas vibrarem de forma descontrolada. Dessa maneira, o discurso se torna difícil de compreender.

Existem três tipos principais:

  • Na disfonia espasmódica adutora, o tipo mais comum, os músculos se fecham e enrijecem as cordas vocais, assim dificultando a produção de som.
  • Na disfonia espasmódica abdutora, as cordas vocais se abrem muito, impedindo então a vibração. Também faz com que um pouco de ar saia dos pulmões enquanto a pessoa fala. Além disso, faz com que a voz pareça fraca. Por fim, na disfonia espasmódica mista, os músculos que abrem e fecham as cordas vocais não funcionam adequadamente.

Ainda assim, a “gagueira” é uma condição não totalmente compreendida. No entanto, algumas pessoas com a doença parecem ter problemas nervosos, o que pode causar espasmos nas cordas vocais. Em alguns casos, a doença pode ser uma forma de distonia – ou seja, um problema neurológico que afeta o tônus muscular.

Sintomas de disfonia espasmódica

Os efeitos conhecidos da doença são os seguintes:

  • Voz rachada
  • Espasmos
  • Voz ofegante, falha, rouca, sussurrante, estrangulada ou tensa
  • Esforço para falar
  • Quebras de voz intermitentes

Sistemas corporais prejudicados

Os sistemas do corpo prejudicados pela anomalia são o nervoso e o respiratório.

Lista de alimentos que previnem a disfonia espasmódica

Pouco se sabe sobre alimentos que previnem a “gagueira”. Entretanto, existem alimentos que podem ajudar a manter as cordas vocais saudáveis. Água, pão, biscoitos sem sal, melão, suco de maçã e chá quente de ervas, por exemplo, podem ajudar.

Tratamentos para disfonia espasmódica

O objetivo dos tratamentos é melhorar os sintomas da doença. Uma das opções a cirurgia, que seria o corte de um dos nervos da prega vocal. Outra opção, outrossim, é a terapia da fala. Pessoas com a doença podem se sentir estressadas, assim como ter uma baixa autoestima, pois têm dificuldade para falar. Por isso, aconselhamento e grupos de apoio podem ajudá-los.

Resumo

A disfonia espasmódica é uma condição neurológica permanente que afeta a fala.

Há três tipos principais: adutora, abdutora e mista.

A doença geralmente causa espasmos musculares dentro das cordas vocais, fala tensa, voz rouca e dificuldade para falar.

A disfonia espasmódica pode ser tratada com cirurgia, fonoaudiologia, aconselhamento e grupos de apoio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *