Analgésicos: usos, riscos à saúde e efeitos colaterais

Analgésicos: usos, riscos à saúde e efeitos colaterais

Os analgésicos, que são medicamentos usados para aliviar a dor, não necessitam de receitas para serem comprados. Esses medicamentos costumam ser usados para tratar dores causadas por artrite, dores de cabeça, lesões, cólicas menstruais, músculos doloridos, cirurgias, dores de dente ou outras causas.

Existem diferentes tipos de analgésicos, como:

  • Aspirina (ácido acetilsalicílico/AAS): às vezes, a aspirina é considerada um anti-inflamatório não esteroidal (AINE), ou seja, não é um corticoide;
  • Medicamentos combinados: podem conter Tylenol e um opioide;
  • Anti-inflamatórios não esteroidais (AINEs): bloqueiam os efeitos das prostaglandinas ou substâncias químicas no corpo semelhantes aos hormônios. AINEs como Advil (ibuprofeno), Aleve (naproxeno), Celebrex (celecoxib) e outros minimizam a dor e o inchaço;
  • Opioides (narcóticos) – os opioides atuam reduzindo os sinais de dor enviados pelo sistema nervoso e a reação do cérebro a esses sinais de dor. Algumas marcas de opióides incluem Avinza, Kadian e MS Contin (morfina);
  • Tylenol (paracetamol): atua mudando a forma como o corpo sente a dor.

Riscos de saúde conhecidos ou efeitos colaterais de analgésicos

Os analgésicos podem causar efeitos colaterais comuns, como:

  • Constipação;
  • Tontura;
  • Sonolência;
  • Boca seca;
  • Erupção cutânea ou coceira na pele;
  • Zumbido nos ouvidos;
  • Náuseas.

Você pode precisar de atenção médica imediata se sentir efeitos colaterais graves, como:

  • Vício ou dependência: pacientes que tomam opióides por muito tempo podem desenvolver dependência à medida que seus corpos se acostumam com a droga;
  • Ataque cardíaco, sangramento do estômago ou derrame: os AINEs podem aumentar o risco dessas doenças;
  • Danos ao fígado: grandes quantidades de Tylenol podem causar danos ao fígado;
  • Síndrome de Reye: é uma doença rara. Pode causar danos ao cérebro e ao fígado e pode ocorrer em crianças que tomam aspirina.

Órgãos que podem ser afetados por analgésicos


Uma overdose de analgésicos opióides pode causar complicações como pupilas contraídas/pontiagudas, perda de consciência ou respiração lenta/depressão respiratória.

Outras indicações de uma overdose podem incluir:

  • Pele fria e úmida;
  • Sonolência;
  • Hipotensão/pressão arterial baixa;
  • Náusea/vômito;
  • Pulso fraco.

Alimentos ou nutrientes que têm efeitos semelhantes aos analgésicos

Os seguintes alimentos ou nutrientes têm efeitos semelhantes aos analgésicos:

  • Capsaicina: a capsaicina tópica derivada da pimenta malagueta pode ajudar a aliviar a dor. A capsaicina ajuda a empobrecer a substância P, um composto que transmite a sensação de dor do sistema nervoso periférico para o central;
  • Tanaceto (Tanacetum parthenium): é tradicionalmente usado para tratar dores de cabeça, de estômago e de dente. Pode também ser utilizado para tratar enxaquecas e artrite reumatóide. No entanto, as mulheres grávidas devem evitar o uso;
  • Gengibre: o extrato de gengibre pode ajudar a aliviar as dores musculares e nas articulações, uma vez que contém fitoquímicos que podem ajudar a interromper a inflamação;
  • Cúrcuma (Açafrão): pode ajudar a aliviar a dor da artrite e azia. Também pode minimizar a inflamação. A cúrcuma tem curcumina, um produto químico com propriedades antiinflamatórias. Indivíduos com doença da vesícula biliar não devem usar.

Opções de tratamento e prevenção para os efeitos colaterais dos analgésicos

Os seguintes tratamentos e opções de gerenciamento podem ajudar a prevenir os efeitos colaterais associados aos analgésicos, como constipação:

  • Maçãs: contêm fibras e pectina. A pectina nas maçãs, que é rapidamente fermentada por bactérias, forma ácidos graxos de cadeia curta que puxam a água para o cólon, amolecem as fezes e diminuem o tempo de trânsito intestinal;
  • Kiwi: tem fibra e actinidaína, uma enzima que pode ser responsável pelos efeitos positivos do kiwi na motilidade intestinal e hábitos intestinais;
  • Ameixas secas: são muitas vezes usadas como remédio natural para a constipação, pois são ricas em fibras. As ameixas têm sorbitol, um álcool de açúcar que o corpo não consegue absorver bem. O sorbitol permite que a água seja puxada para o cólon, o que causa um efeito laxante em alguns indivíduos.

Você também pode gostar

A curcumina como ferramenta no combate ao câncer

Limpeza do intestino: qualidade de vida e longevidade

Luisa Costa

Veja Notícias

Outros artigos

Understanding Body Language

Understanding Body Language is the ability https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8243708/ to identify and interpret non- linguistic conversation cues in other...

Ler artigo

Traditions of Latina weddings

Celebrating your heritage https://www.irs.gov/businesses/small-businesses-self-employed/self-employed-individuals-tax-center is one of the best ways to ensure that y...

Ler artigo