10 maneiras de reduzir a autoimunidade

10 maneiras de reduzir a autoimunidade

Condições de autoimunidade, como lúpus, artrite reumatóide e EM, afetam mais de 250 milhões de pessoas em todo o mundo. Nos Estados Unidos, eles são a terceira doença crônica líder, atrás de doenças cardiovasculares e câncer.

A autoimunidade é classicamente conhecida por três pilares. Isso significa que os 3 principais fatores que contribuem para o desenvolvimento de toda e qualquer condição autoimune incluem:

  1. Suscetibilidade genética: Alguns indivíduos são geneticamente mais propensos a desenvolver autoimunidade. No entanto, sabemos que os genes por si só não causam autoimunidade. Os 2 fatores a seguir são igualmente importantes.
  2. Síndrome do intestino solto: Danos ao intestino, fazem com que grandes proteínas entrem na corrente sanguínea e o corpo reage com inflamação e autoimunidade naqueles que são suscetíveis.
  3. Um gatilho: pode ser um trauma emocional ou físico sério de algum tipo. Talvez perder um membro da família, passar por um relacionamento desafiador ou sofrer um grave acidente de carro. Qualquer situação como essa pode sobrecarregar o corpo e fazer com que ele se adapte mal e deixe de modular o sistema imunológico e desencadear a autoimunidade.

Manter o intestino saudável é absolutamente vital para controlar a autoimunidade e a inflamação crônica. Aqui estão 10 etapas e princípios para ajudar a reduzir a inflamação, melhorar a saúde digestiva e melhorar a capacidade do seu corpo de se curar e se reparar.

Evite alimentos processados

Alimentos processados contêm substâncias químicas ambientais perigosas que alteram o microbioma e favorecem o desenvolvimento de bactérias e espécies de leveduras ruins. Esses alimentos causarão um ciclo vicioso de inflamação que danificará o revestimento do intestino e promoverá a atividade auto-imune.

Beba água filtrada

Beba apenas água filtrada – de preferência por um filtro de carbono de alta qualidade ou, melhor ainda, por um sistema de osmose reversa (RO). Um sistema RO remove todo o cloro, flúor, subprodutos desinfetantes e muito mais.

Um desafio do RO é que ele também remove os minerais essenciais. Eu recomendo adicionar ¼ colher de chá de sal rosa para cada galão de água RO para compensar os minerais. Usar várias gotas de um bom óleo essencial, como hortelã-pimenta ou limão / lima, também adiciona componentes antioxidantes.

Mastigue bem a sua comida

Quanto mais você mastiga sua comida, menos estresse você colocará em seu sistema digestivo e mais nutrientes você extrairá. ‘Procure mastigar cada mordida 30-40 vezes.

Isso vai ser difícil no início, mas quanto mais ciente você ficar da arte de mastigar, mais natural se tornará. A imagem abaixo mostra o que fazer para desenvolver a arte da alimentação consciente, que tem benefícios incríveis para reduzir a sensibilidade aos alimentos e melhorar a saúde digestiva.

Consumir gorduras de cadeia pequena e média

As gorduras de cadeia pequena (SCFAs), como o ácido butírico, e as gorduras de cadeia média (MCTs), como os ácidos cáprico, caprílico e láurico, são um suporte poderoso para a microflora. Você encontrará ácido butírico no ghee alimentado com capim e ácido caprílico / láurico no óleo de coco.

Eu recomendo cozinhar com óleo de coco e derreter ghee alimentado com grama em vegetais cozidos no vapor ou salteados.

Ervas Antimicrobianas

Algumas ervas como orégano, tomilho, alho, hortelã-pimenta e manjericão ajudam a matar os micróbios nocivos e favorecem o desenvolvimento de micróbios saudáveis. Consumir generosamente em forma de óleo fresco, seco ou essencial diariamente.

Você também pode usar ervas antiinflamatórias e antimicrobianas suplementares. Eu uso o Inflam Defense, que contém Boswelia, gengibre, curcumina e enzimas proteolíticas. As ervas podem realmente ajudar a reduzir a inflamação e a autoimunidade.

Pratique jejum intermitente

Vá um mínimo de 12 horas entre as refeições durante a noite. Tente fazer jejuns diários de 16-18 horas. Certifique-se de beber o máximo de água limpa e chás de ervas quanto possível, a fim de limpar seu sistema e evitar a fome.

Normalmente bebo 200 onças de água (ou chá de ervas) desde o momento em que acordo até minha primeira refeição. Isso melhora dramaticamente minha energia e função cerebral e a água bloqueia qualquer sensação de fome, então me sinto excelente. Você também pode tentar colocar um pouco de óleo MCT, óleo de coco ou ghee alimentado com ervas para ajudar a produzir cetonas e melhorar sua capacidade de jejuar.

Otimize sua vitamina D

Certifique-se de aumentar sua vitamina D por meio de boas quantidades de exposição regular ao sol e / ou tomando um suplemento de vitamina D3 de alta qualidade.

A vitamina D é um dos mais importantes moduladores do sistema imunológico. Isso significa que ajuda a coordenar o sistema imunológico para ajudá-lo a identificar tecidos próprios e não próprios. Este é um FATOR ENORME na autoimunidade e a pesquisa mostrou que as pessoas com autoimunidade são tipicamente deficientes em vitamina D.

Melhore os níveis de ácido estomacal

O ácido do estômago é fundamental para desinfetar e matar micróbios ruins e para otimizar a digestão de proteínas no corpo. Quando o corpo é incapaz de produzir ácido estomacal suficiente, ocorre digestão inadequada e crescimento excessivo de micróbios.

Beba chá de ervas com boa gordura

Os chás de ervas contêm antioxidantes poderosos que favorecem o desenvolvimento de um microbioma saudável. Certifique-se de obter variedades orgânicas e usar óleo MCT, ghee alimentado com capim e / ou óleo de coco para obter mais gorduras de cadeia pequena e média.

Alguns dos meus favoritos incluem chá de gengibre e açafrão, chá de ginseng, chá de hortelã-pimenta e chá verde ou alguma combinação de ervas que os inclua.

Melhore o seu sono

Dormir de 8 a 9 horas de alta qualidade todas as noites é a chave para estabilizar o sistema imunológico e melhorar a cura de todo o corpo. Isso é absolutamente crítico para melhorar qualquer forma de autoimunidade.

Certifique-se de desenvolver uma estratégia de encerramento noturno. Esteja na cama às 22h, mantenha seu quarto o mais escuro possível e use uma máscara para dormir para melhorar a secreção de melatonina e para um sono profundo. Manter o ambiente fresco – abaixo de 70 graus também pode melhorar a qualidade do sono e usar um ventilador de teto para a circulação do ar pode fazer uma grande diferença.

Joachim Emidio Ribeiro

Veja Notícias

Outros artigos

Os benefícios do magnésio

O mineral magnésio está envolvido em mais de 300 reações enzimáticas em todo o corpo. Sendo que metade do magnésio do nosso corpo é armazenado nos ossos, onde faz p...

Ler artigo