O que são os nootrópicos?

Nootrópicos tem se tornado populares ao longo dos últimos anos. Isso ocorre por causa dos vários benefícios que eles tem, alguns exemplos são: melhoria na velocidade e na eficiência do aprendizado, aumento do processo criativo e, potencialmente, até mesmo oferecem suporte na luta contra doenças cognitivas como Alzheimer e demência.

O que significa “Nootrópico”?

A palavra nootrópico significa essencialmente “mente flexível” – referindo-se à sua capacidade de tornar a mente mais adaptável.

Nootrópicos são suplementos que melhoram a saúde do cérebro e a função cognitiva. Para se qualificar, um nootrópico não deve ter efeitos tóxicos no cérebro ou em outros órgãos do corpo.

Os compostos nootrópicos são semelhantes aos adaptógenos no sentido de que fornecem uma melhoria geral para o corpo – a diferença é que os nootrópicos são específicos para o cérebro, enquanto os adaptógenos são específicos para órgãos estressantes (que inclui os sistemas neurológico, adrenal e cardiovascular).

Existem muitos tipos diferentes de substâncias nootrópicas – desde nutracêuticos (nutrientes isolados destinados a exercer um efeito específico no corpo), aminoácidos sintetizados e extratos de plantas.

Nootrópicos são drogas?
A chave aqui é que os nootrópicos devem exercer um efeito benéfico no cérebro sem quaisquer efeitos colaterais ou impactos negativos.

A maioria das drogas farmacêuticas para transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDA, TDAH) não se enquadram nesta categoria, pois, de fato, exercem danos significativos no cérebro, apesar de melhorarem o desempenho cognitivo quando sob a influência da droga.

Alguns nootrópicos são drogas – como Modafinil, Adderall ou Noopept – no entanto, há muito debate sobre se podemos ou não classificar esses compostos como nootrópicos. O problema é que todos esses compostos podem prejudicar o sistema neurológico, o que conflita com a ideia de que um nootrópico precisa ser totalmente seguro para se qualificar.

A maioria dos nootrópicos são compostos nutricionais ou suplementos de ervas.

Os compostos nootrópicos têm um efeito maior por um longo período de tempo e geralmente têm efeitos duradouros (em comparação com muitos medicamentos para TDAH que precisam ser tomados continuamente e, em vez disso, podem causar danos à saúde do cérebro por longos períodos de tempo).

As ervas também podem oferecer benefícios nootrópicos, já que muitas delas têm ações na função cognitiva que agem para normalizar, equilibrar ou regular várias ações no cérebro, ou oferecem os blocos de construção necessários para fazer muitos dos neurotransmissores necessários para o funcionamento.

Aplicações comuns de nootrópicos:
– Para desempenho atlético e recuperação

– Auxiliar nos estudos

– Melhorar o foco no trabalho

– Para melhorar o aprendizado de novos idiomas

– Estimular a criatividade

– Para gerenciar o estresse mental

– Prevenir o aparecimento de distúrbios cognitivos, como demência e doença de Alzheimer

Como funcionam os Nootrópicos?

  1. Aumentam o fluxo sanguíneo para o cérebro

Ao aumentar o fluxo sanguíneo para o cérebro, as células cerebrais terão um melhor suprimento de energia na forma de glicose e cetonas, bem como de oxigênio.

Isso também permite que os subprodutos prejudiciais que ocorrem naturalmente nos processos do cérebro sejam eliminados.

O acúmulo desses subprodutos está associado ao Alzheimer e à demência, bem como ao declínio cognitivo geral, se persistir por tempo suficiente.

Aumentar o fluxo sanguíneo das artérias cerebrais pode melhorar muito a capacidade de raciocínio e reduzir as chances de doenças cognitivas mais tarde na vida.

Exemplos incluem: o gingko biloba, a huperzine A, a vinpocetina e a L-teanina.

  1. Aumentar a atividade da acetilcolina

A acetilcolina é um dos neurotransmissores mais importantes em todo o corpo.

É responsável pelas contrações musculares fora do cérebro, mas dentro do cérebro atua no córtex pré-frontal para gerar pensamento superior.

A acetilcolina atua como a conexão entre a mente e o músculo e também nos ajuda a armazenar e recuperar memórias mais profundas no nosso cérebro.

  1. Aumentar a atividade da dopamina

A dopamina é um dos principais neurotransmissores quando se trata de emoção. Ele funciona em equilíbrio cuidadoso com a serotonina e outros neurotransmissores para comunicar mensagens por todo o cérebro e corpo.

A dopamina é um dos principais atores na recuperação da memória antiga e no novo armazenamento da memória. A L-teanina também é um exemplo de nootrópico que afeta positivamente a produção de dopamina.

  1. Aumentar a atividade GABA

O neurotransmissor GABA desempenha um papel na transmissão da dor, assim como nos padrões de sono. É usado como um tratamento popular para crianças que sofrem de TDAH. GABA também desempenha um papel importante na memória e na concentração.

Muitos medicamentos ansiolíticos farmacêuticos dependem do GABA para produzir seus efeitos – como os benzodiazepínicos e os barbitúricos.

Em doses menores, ou com plantas, o aumento do GABA geralmente promove uma sensação de calma e redução da ansiedade. Isso pode melhorar drasticamente nosso foco, concentração e humor geral.

  1. Aumentar a atividade da serotonina

A serotonina é um neurotransmissor que tem muitas funções no cérebro. A maioria das pessoas vê a serotonina como a substância química da felicidade, mas também está associada ao aprendizado, à memória e a outros aspectos do nosso humor.

Pessoas com problemas com a serotonina tendem a ter mais dificuldade para se concentrar e armazenar novas memórias. Eles também podem ter dificuldade em regular o humor e manter o foco.

  1. Apoiar a regeneração e saúde das células nervosas

Melhorar a estrutura neural significa basicamente dar ao corpo todos os blocos de construção necessários para manter as estruturas cerebrais funcionando perfeitamente.

Como o resto das células do corpo, é necessária muita manutenção para manter o sistema funcionando com eficiência máxima.

Por exemplo, existem dezenas de células de suporte localizadas em toda a corrente sanguínea e no cérebro que têm o único propósito de limpar, proteger ou reparar as células cerebrais.

Ao fornecer a essas células os blocos de construção de que precisam para funcionar (como ácidos graxos ômega e vitaminas B), seu cérebro pode manter seus níveis de funcionamento ideais.

Alguns nootrópicos, como o cogumelo crina de leão, podem até ser capazes de aumentar a atividade do fator de crescimento nervoso (NGF) – que estimula a produção e o reparo de células nervosas por meio de mensageiros químicos.

  1. Previna danos oxidativos no cérebro

Precisamos de oxigênio para viver. Todas as nossas células usam oxigênio para facilitar a produção de energia que alimenta nossas células.

O problema é que o oxigênio também está nos matando lentamente …

A molécula de oxigênio tem características especiais que a tornam perfeita para a produção de energia, mas também perfeita para danificar outras moléculas. Ele faz isso arrancando elétrons da superfície de outros átomos para mantê-los para si. Isso torna os outros átomos inúteis e pode, eventualmente, matar a célula da qual eles fazem parte.

Se um número suficiente de células morrer, o tecido morre. Isso é fácil de ver na pele envelhecida. Conforme as células se oxidam, a pele perde sua rigidez e flexibilidade. O mesmo pode acontecer com as células do seu cérebro que são incapazes de se proteger do oxigênio ou de outros compostos de radicais livres que causam o mesmo efeito.

Muitos dos subprodutos liberados da atividade celular normal também têm essas características, que se não neutralizadas ou eliminadas podem causar danos aos neurônios do cérebro.

Ao consumir alimentos ricos em antioxidantes, podemos reduzir os danos causados ​​por esses produtos químicos e proteger nossos preciosos neurônios contra danos.

  1. Apoiar a produção de energia no cérebro

Este pode parecer um pouco óbvio – mas é mais profundo do que você imagina. Fornecer energia ao cérebro significa comer comida suficiente, mas também pode significar tomar medidas extras para garantir que a força motriz das células (mitocôndrias) esteja funcionando com eficiência máxima.

Isso basicamente envolve dar às células todos os aminoácidos, minerais e vitaminas de que precisam para realizar seu trabalho com eficácia.

Considerações finais: Nootrópicos

Os nootrópicos são um campo de estudo interessante. Existem centenas de novas publicações que investigam o papel e as aplicações potenciais dos nootrópicos todos os anos. Há evidências de que os nootrópicos podem ajudar com doenças neurodegenerativas crônicas, como doença de Alzheimer, doença de Parkinson e demência.

Existem também alguns estudos sugerindo que os nootrópicos podem se tornar um tratamento alternativo para ansiedade, depressão e dependência.

Se você quiser começar com uma fórmula simples de nootrópicos, recomendamos que comece com L-teanina ou Vinpocetina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *