Pioderma gangrenoso – causas, sintomas e tratamentos

O pioderma gangrenoso é uma rara doença que cria grandes úlceras e feridas na pele, geralmente nas pernas. Especialistas sugerem que sua causa seja uma disfunção do sistema imunológico. Pessoas com síndrome do intestino irritável (SII) e artrite reumatoide, por exemplo, têm tendência para a doença. Além disso, é associada a inflamações como doença de Crohn e colite ulcerativa.

Sintomas do pioderma gangrenoso

Geralmente, a úlcera aparece na região do osso da tíbia. Também surge na área do tronco, cabeça e pescoço. A princípio, parece uma pequena ferida, como uma picada de inseto. Em seguida, se transforma em uma grande úlcera, e assim, suas bordas ficam em tom roxo. O pioderma também causa dor, mau cheiro (da ferida), fadiga e até outras infecções. Ademais, pode até afetar outros órgãos.

Sistemas corporais prejudicados pelo pioderma gangrenoso

O sistema afetado pelo pioderma gangrenoso é o sistema tegumentar, já que afeta a pele.

Lista de alimentos e nutrientes que previnem o pioderma gangrenoso

Não há informações sobre alimentos ou nutrientes que previnam essa doença. No entanto, mel, vegetais crucíferos como brócolis, couve de Bruxelas, couve-flor, couve e repolho servem para úlceras no geral. Ao mesmo tempo, iogurte, kefir, banana, vegetais, grãos e outros alimentos ricos em fibras são boas sugestões.

Tratamentos sugeridos para o pioderma gagrenoso

Com efeito, a calêndula é muito útil para o tratamento, e pode ser aplicada duas ou três vezes ao dia. Recomenda-se, além disso, a aplicação de mel.

Resumo

O pioderma gangrenoso é uma doença rara. Causa úlceras grandes e dolorosas na pele, geralmente nas pernas.

Contudo, também causa úlceras no tronco, cabeça e pescoço.

Primeiramente, cresce como uma pequena ferida vermelha e depois se transforma em uma grande úlcera.

A doença também gera dor, mau cheiro, fadiga e outras infecções.

Recomenda-se mel, iogurte, kefir, banana, grãos e vegetais crucíferos como brócolis, couve de bruxelas, couve-flor e couve e repolho.

Pode-se tratar a doença naturalmente com a aplicação de calêndula ou mel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *